Planejamento tributário: descubra a sua importância

Os impostos representam cerca de um terço de todo o faturamento da empresa. Além disso, a legislação referente a eles é complexa e exige muita atenção. Assim, um planejamento tributário adequado é fundamental para a saúde financeira do seu negócio.

Mas, você sabe o que é um planejamento tributário? Sabe como ele é feito? Continue a leitura deste artigo e entenda mais sobre o assunto. Confira!

O que é planejamento tributário?

Por mais que os impostos a serem pagos pelas empresas sejam bem definidos, existem formas legais de reduzir a carga fiscal. Deste modo, o planejamento tributário é uma maneira de estudar e prever todas essas possibilidades, que resultam em um menor custo para o empresário, o que não quer dizer fugir deles, uma vez que a evasão fiscal (qualquer ato ilícito para reduzir impostos) é crime.

Quais os regimes de tributação?

A carga tributária que incide sobre cada empresa depende de alguns fatores, como o faturamento, a atividade desempenhada e o lucro em si. Tais fatores influenciam na forma de cálculo da Contribuição Social Sobre o Lucro Líquido (CSLL) e do Imposto de Renda de Pessoa Jurídica (IRPJ). Esses tributos são calculados com base em diferentes regimes tributários, como veremos adiante.

Simples

O regime do simples se aplica a todas as microempresas, com faturamento de até R$ 360 mil por ano. Também inclui as pequenas empresas, que faturam até R$ 4,8 milhões anualmente.

É a forma mais básica de tributação, no qual os impostos federais, estaduais e municipais são incluídos em uma única guia de pagamento. Para fazer parte do Simples Nacional, as empresas precisam definir sua atividade a partir da Classificação Nacional de Atividades Econômicas (CNAE) e verificar se é possível enquadrar-se no regime tributário em questão.

Lucro presumido

O cálculo dos impostos é feito com base na presunção do lucro sobre o faturamento conforme a categoria da empresa. Assim, separam-se os serviços (32%), comércio (16%) e a indústria (8%).

A partir dessas porcentagens são aplicadas as alíquotas de 9% para o CSLL, 15% para IRPJ, além de 0,65% do Pis e 3% do Cofins sobre o faturamento bruto. Entram nessa categoria todas as empresas com faturamento entre até R$78 milhões.

Lucro real

Neste caso, os impostos serão pagos apenas sobre o lucro real, ou seja, depois que forem descontados os custos e as despesas.

Não existe um valor mínimo de faturamento para se aderir a ele. No entanto, exige mais controle, uma vez que os valores são pagos separadamente, além de ser um pouco mais burocrático.

Por que o planejamento é importante?

Por meio de um bom planejamento tributário é possível reduzir bastante os gastos fiscais, com menos pagamentos desnecessários, o que gera mais retorno para a empresa. O valor economizado pode ser usado como investimento, o que só contribui para o crescimento do negócio.

Ele também tem grande importância ao ajudar a empresa a estar de acordo com a lei, a prevenir e se antecipar a problemas. Mas para isso, é preciso que o planejamento tributário seja feito por profissionais capacitados, colaboradores da empresa ou por meio de uma consultoria especializada.

Quer saber mais sobre contabilidade e administração? Siga a MG Auditoria no Instagram e no Facebook e receba mais dicas para a gestão do seu negócio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Share This