4 dicas para planejar seu capital de giro da melhor forma

Administrar as finanças da empresa é um desafio que exige preparação e estratégia, afinal, o gestor precisa entender diferentes tipos de conceitos e saber como aplicá-los na prática. Entre as variáveis que mais precisam de atenção estão o lucro, faturamento, orçamento, custos, fluxo de caixa e o capital de giro.

Além de toda essa parte que envolve as finanças, o gestor precisa também estar atento a outras questões como administração de funcionários e produção, por exemplo. Ou seja, são inúmeras atividades que são essenciais para o bom funcionamento da empresa. Para ajudar você a entender melhor sobre um ponto importante de gestão empresarial, elaboramos este post com o tema capital de giro.

Neste conteúdo, você vai entender a importância do capital de giro para o negócio, além de algumas dicas sobre como planejá-lo e mantê-lo estável. Confira logo abaixo!

1. Conheça a função do capital de giro

Primeiro, é importante entender, exatamente, o que é capital de giro. Então, será mais fácil compreender a sua importância para a gestão da empresa.

De maneira geral, esse capital engloba todos os recursos financeiros que podem ser usados para cobrir emergências na empresa, o dinheiro em caixa, o valor do estoque e também contas que serão recebidas.

Ou seja, é preciso fazer cálculos para saber exatamente o valor do montante, pois há várias origens de todo o dinheiro que compõem o capital de giro.

Nesse sentido, o valor obtido precisa ser o suficiente para manter todos os processos do negócio em pleno funcionamento durante determinado período de tempo. Isso significa que uma boa gestão fará de tudo para assegurar que o capital de giro esteja de acordo com as possíveis necessidades da empresa, garantindo seu pleno funcionamento.

2. Calcule o valor disponível

A complexidade da economia brasileira exige atenção total quando o assunto é planejamento financeiro de uma empresa. Justamente por isso, é que o capital de giro precisa estar sempre atualizado. Para calculá-lo, você precisa ter as seguintes informações: fluxo de caixa detalhado, lucro da empresa e duração do recurso.

A fórmula para se chegar ao resultado é bem simples, já que o valor do capital de giro será o resultado dos ativos circulantes (como as aplicações financeiras e contas a receber), subtraídos os passivos circulantes (pagamento de contas, fornecedores e empréstimos, por exemplo).

3. Mantenha a organização

Lembre-se de que existe um ciclo de capital de giro, que nada mais é do que o período que se tem para comprar de seus fornecedores e receber de seus clientes.

Isso significa que o ideal é trabalhar com um prazo maior para o pagamento de fornecedores, enquanto que o recebimento dos clientes é antecipado. Ou seja, o segredo da organização é não deixar que falte dinheiro para o fechamento de cada ciclo.

4. Invista em uma gestão planejada

Uma boa gestão começa antes mesmo de o negócio ser aberto. É fundamental calcular custos de todos os possíveis gastos, além de manter uma reserva para eventos inesperados. No dia a dia do negócio, algumas atitudes também serão benéficas para a gestão do capital de giro.

Manter um controle rigoroso da inadimplência e adotar uma política de redução de custos, são ações práticas, eficientes e essenciais para prevenir a falta de capital na empresa. Não se esqueça também que, além de tudo isso, não se pode perder o foco da empresa: que é a geração de lucros!

Gostou das dicas sobre como administrar o capital de giro da empresa? Entre em contato conosco e saiba mais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Share This