Veja como a matemática financeira é utilizada nas empresas. Blog da MG
matemática financeira

Toda administração de um negócio está diretamente vinculada à análise de números que compõem a matemática financeira nas empresas. Nesse sentido, a avaliação equivocada de determinados indicadores pode levar a organização à falência.

Por outro lado, o domínio sobre eles tende a conduzir a empresa à estabilidade e ao crescimento. Quer entender isso melhor? Então continue a leitura e saiba como essa matemática pode favorecer a sua empresa!

Qual é a relação entre a matemática e a tomada de decisão nas empresas?

Quanto mais rápida e precisa for uma análise matemática do negócio, menor será o risco atrelado àquela tomada de decisão. No entanto, repare que para isso o gestor deve estar muito bem familiarizado com a interpretação de resultados quantitativos.

Essa capacidade de observação é fundamental para que o empresário enxergue qual caminho deve seguir. É como se o raciocínio matemático se transformasse em uma verdadeira lanterna nas mãos do empreendedor.

A utilização da análise matemática varia conforme a necessidade do negócio naquele momento. Assim, o gestor pode usá-la para reduzir custos, pois saberá quais recursos são mais econômicos.

Os possíveis investimentos também se tornarão menos arriscados, assim como será exibido na sequência.

Como analisar os possíveis investimentos nas empresas?

Uma vez que almejam o crescimento econômico, cedo ou tarde as empresas terão de investir. A dúvida, então, consiste em como fazer isso.

Na verdade, existem algumas análises de investimento essenciais durante o processo, como:

  • Payback;
  • TIR;
  • VPL;

Qual é a finalidade do payback?

Em se tratando de análise de investimentos, talvez o payback seja o indicador mais conhecido e utilizado pelos gestores de empresas.

Isso se explica pelo fato de o payback demonstrar qual será o tempo necessário para que o dinheiro investido seja recuperado pelo próprio negócio. Obviamente, esse tempo é estimado.

A estimativa resulta da divisão do investimento inicial pelo fluxo de caixa médio (varia de acordo com o período usado para a análise; costuma ser 12 meses). Assim, por exemplo, com um aporte financeiro de R$ 120 mil e um fluxo de caixa médio de R$ 8 mil, o payback seria de 15 meses: 120/8 = 15.

Qual é a finalidade da TIR?

A TIR se refere à Taxa Interna de Retorno. Nessa análise de investimento, o capital necessário àquele investimento deve ser compensado pela geração futura de um fluxo de caixa positivo. Do contrário, o investimento pode se tornar arriscado e inviável.

Na utilização da TIR é levada em consideração a atratividade de um projeto ou investimento, a partir da Taxa Mínima de Atratividade (TMA), que representa o retorno mínimo esperado. Se a TIR de um investimento foi maior que a TMA indica que ele é viável, do contrário ele deve ser dispensado.

Em outras palavras, o capital necessário àquele investimento deve ser compensado pela geração futura de um fluxo de caixa positivo. Do contrário, o investimento pode se tornar arriscado e inviável.

Ao aplicar a TIR, o gestor deve verificar se ela é vantajosa perante outras possibilidades de investimento disponíveis no mercado financeiro. Contudo, essa análise da TIR deve ser feita com cautela.

O indicador aponta a utilização de uma mesma taxa de juros para cada reinvestimento — resultante de parte do lucro gerado após cada ano. Assim, se um projeto de investimentos de cinco anos exibir uma TIR 40% a. a., o gestor deve ter em mente que esse retorno será inferior ao percentual do cálculo. Esse cuidado dará a você uma margem de segurança.

Qual é a finalidade do VPL?

O VPL, por sua vez, leva em conta os fluxos de caixa atuais, subtraídos pela TMA (taxa mínima de atratividade). Como o próprio nome sugere, a TMA define qual é o retorno mínimo que o gestor deve aceitar para determinado investimento. E qualquer retorno abaixo da TMA torna o investimento desinteressante.

Então, se a TIR facilita a comparação entre diferentes tipos de investimento, o VPL tem a vantagem de distinguir melhor qual é o risco inerente ao projeto. E não podemos nos esquecer do payback, que ajuda a ter uma noção do tempo necessário para aquele investimento começar a “valer a pena”. Por isso, não é recomendada a utilização isolada de um desses indicadores para avaliação da viabilidade de um investimento, pois eleva a probabilidade de se tomar uma decisão errada. A melhor dica é usar esses e outros indicadores em conjunto, proporcionando um melhor panorama dos resultados esperados de seus investimentos.

Enfim, em um cenário empresarial cada vez mais competitivo, todo diferencial é muito bem-vindo.E o bom uso da matemática financeira nas empresas é essencial na hora de economizar recursos e avaliar riscos sobre novos investimentos.

Com certeza, essa é uma habilidade primordial para se elaborar um planejamento financeiro eficaz.

Mas e você, já pensou em como a matemática pode amplificar a competitividade da sua empresa? Sobrou alguma dúvida sobre o assunto? Deixe-nos o seu comentário!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Share This