Capital de Giro: calcule sem erros. Blog MG
custo de capital de giro

O capital de giro é uma parcela do investimento inicial de uma empresa que circula para garantir as operações necessárias ao seu funcionamento. Calcular corretamente o custo de capital de giro é um item essencial para a saúde financeira de qualquer instituição.

Em outras palavras, ele é o dinheiro em caixa utilizado para comprar estoque que, ao ser vendido, retorna ao caixa em forma de pagamento pela mercadoria. Para calcular corretamente o capital necessário, é preciso mensurar muito bem todas as operações que podem depender dele.

Quer entender melhor o tema? Veja as informações a seguir!

O que é necessário para calcular o capital de giro

O item mais essencial para permitir o cálculo adequado do capital de giro necessário é o fluxo de caixa.

É a partir das informações contábeis dele que é possível estimar o capital necessário para financiar as operações da empresa — ou mesmo cobrir despesas inesperadas.

Quanto mais detalhado e preciso for o fluxo de caixa de uma instituição, melhores serão os dados que serão extraídos dele.

Como calcular o capital de giro

O cálculo do capital de giro é feito a partir dos seguintes elementos:

  • CGL: Capital de Giro Líquido
  • AC: Ativo circulante (dinheiro em caixa, contas a receber, etc.)
  • PC: Passivo circulante (fornecedores, contas a pagar, etc.)

E o cálculo consiste na seguinte fórmula: CGL = AC-PC.

Parece simples, certo? Mas além dessa continha básica, é preciso ficar atento ao ciclo do capital de giro – ou o período entre compras e vendas.

Para ilustrar melhor o ciclo, vamos considerar o seguinte cenário:

  • você compra 50 mil em estoque dos seus fornecedores, a um prazo de 30 dias;
  • e vende 100 mil em mercadorias para seus clientes, a um prazo de 60 dias.

Nesse caso, dentro de 30 dias, você terá uma conta de 50 mil para pagar, mas só vai receber pelas mercadorias um mês depois. É em um cenário como esse que surge a necessidade de ter um capital de giro para cobrir as despesas.

Mas se, ao contrário, você compra o mesmo tanto de estoque a um prazo de 60 dias e vende sua mercadoria a um prazo de 30 dias, você recebe os 100 mil antes de pagar seus fornecedores. Neste novo cenário, suas entradas e saídas ficam equilibradas de forma que você não precisa contar com uma reserva para cobrir essas despesas.

Por isso, é importante ter atenção não só aos valores, mas também às datas das operações para garantir um capital de giro adequado às necessidades do seu negócio.

Como avaliar se o custo de capital de giro está adequado

Avaliar se as necessidades de capital de giro são atendidas é uma questão não somente de cobrir os gastos, mas também de encontrar um certo equilíbrio.

Afinal, se o capital de giro não for o suficiente para cobrir as despesas operacionais, o empreendedor precisará de crédito, o que gera despesas adicionais por causa de juros e outros possíveis encargos.

Mas, por outro lado, deixar dinheiro em excesso de reserva pode incorrer em perdas por custo de oportunidade — esse dinheiro parado poderia render mais se tivesse sido investido ( talvez até mais do que os custos de um empréstimo, dependendo das condições).

O custo de capital de giro ideal para a sua empresa é aquele que fica mais próximo desse equilíbrio, diminuindo, assim, suas potenciais despesas, mas ainda garantindo fundos para manter a empresa funcionando.

Quer saber mais sobre capital de giro? Assine nossa newsletter e fique por dentro de mais assuntos como esse!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Share This