Escrituração Contábil: como é feita? Blog da MG
escrituração contábil

Toda empresa precisa prestar contas ao governo. Isso envolve reportar transações, gastos e investimentos para garantir que todos os impostos devidos estão sendo recolhidos adequadamente. Essa prestação de contas se dá, principalmente, por meio da escrituração contábil.

A escrituração feita de maneira correta é uma importante ferramenta para garantir a transparência dos negócios e demonstrar a saúde financeira da empresa. Confira, a seguir, do que se trata e como é feita a escrituração contábil.

O que é a escrituração contábil?

Escrituração fiscal ou contábil nada mais é do que uma técnica de lançamento dos fatos contábeis. É somente por meio do registro desses lançamentos que outras técnicas — de demonstração, análise e auditoria — podem se desenvolver.

Não se trata apenas de uma boa prática recomendada a todas as empresas, mas de uma obrigação junto ao fisco. As informações sobre movimentações financeiras e faturamento são de interesse do governo para o recolhimento de impostos.

Quais são os principais tipos de escrituração contábil?

A escrituração contábil abrange, basicamente, os seguintes tipos de transação:

  • entradas: referem-se às notas fiscais da entrada de produtos ou serviços na empresa, tais como compra de mercadorias para revenda, devoluções de vendas, importações ou bens adquiridos em leilão. Essa escrituração deve ser feita no Livro de Registro de Entradas, que é destinado exclusivamente à entrada de mercadorias, bens e serviços, e deve ser feita de forma individual e cronológica;
  • saídas: é o registro das mercadorias enviadas aos clientes. A nota fiscal deve conter os dados completos de quem receberá os produtos ou serviços, entre outros detalhes, e fica documentada no Livro de Registro de Compras ou Vendas. Essa escrituração de saídas deve ser fechada sempre no último dia do período de apuração de imposto.
  • serviços prestados: é a escrituração de serviços prestados pela empresa que estão sujeitos à cobrança do ISS (Imposto Sobre Serviços) e obrigatória para organizações que são contribuintes desse imposto.

Além disso, existem outros Livros de Registro específicos exigidos pelo fisco que variam de acordo com o enquadramento da empresa. Alguns exemplos são Registro de Inventário, Registro de Apuração de ICMS (Imposto de Circulação de Mercadorias e Serviços) e Livro de Movimentação de Combustíveis.

O que é preciso para fazer a escrituração contábil?

O elemento essencial para garantir a escrituração contábil é o registro sistemático de todas as movimentações da empresa. Somente por meio dos dados coletados é possível preencher todos os Livros de Registro e garantir que a prestação de contas com os órgãos governamentais será feita de forma adequada.

Para isso, é imprescindível contar com a assessoria especializada de um contador ou de um escritório de contabilidade. A escrituração deve seguir os padrões exigidos pela legislação contábil e possíveis erros podem acarretar problemas sérios para a empresa.

Um bom software de gestão também pode facilitar bastante o registro, a organização e o armazenamento de notas fiscais e de outros dados contábeis da empresa. Além de otimizar o processo, economizando tempo e dinheiro para a empresa, os softwares de gestão geram relatórios detalhados que facilitam a tomada de decisões estratégicas.

Quer saber mais sobre como fazer a escrituração contábil da sua empresa de forma eficiente? Entre em contato conosco e conheça as melhores soluções para o seu negócio!

BPO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Share This