Formação de preço para serviços: 4 dicas para cobrar corretamente - Blog da MG Auditoria, Consultoria e Contabilidade
Formação de preço para serviços: 4 dicas para cobrar corretamente

Com o setor de serviços crescendo cada vez mais, os novos empreendedores dessa área devem ficar atentos aos elementos-chaves para progredir nesse ramo. A formação de preços é definitivamente um deles.

A precificação de serviços pode ser um tanto quanto delicada, principalmente se comparada à configuração de preço de produtos.

É preciso levar em consideração as características específicas do segmento, que afetam desde o cálculo de custos e despesas até a percepção de valor agregado para o cliente.

Confira a seguir 4 dicas para ajudar na formação de preços para serviços!

1.Características dos serviços

É importante entender os aspectos específicos dos serviços, que podem apresentar desafios na hora de precificar.

Intangibilidade

Intangível é algo que não pode ser tocado. Por não terem as mesmas características físicas dos produtos, a qualidade dos serviços é medida pela percepção dos resultados obtidos.

Heterogeneidade

Por dependerem de pessoas, existe uma variação maior de consistência e qualidade entre os serviços prestados por diferentes consultores.

Perecibilidade

Serviços só podem ser utilizados no momento em que estão sendo prestados. Não podem ser armazenados em estoque, devolvidos ou revendidos.

Simultaneidade

A execução e o consumo de um serviço são inseparáveis, acontecem simultaneamente.

Essas características tornam a qualidade dos serviços mais difícil de ser mensurada, por isso é importante garantir que o consumidor tenha uma boa percepção do valor agregado pelos serviços oferecidos.

2.Composição do preço

O preço de um serviço deve ser composto por uma combinação de fatores.

Custo: soma dos valores fixos ou variáveis necessários para a oferta de um serviço, incluindo mão-de-obra, matéria-prima, impostos, entre outros.

Consumidor: o gestor deve conhecer o perfil do seu público-alvo, incluindo hábitos de consumo, necessidades e poder aquisitivo.

Concorrência: a empresa também deve ter uma ideia do preço médio que está sendo cobrado por determinados serviços no mercado.

Valor Agregado: a percepção do consumidor em relação aos benefícios que um determinado bem ou serviço tem para oferecer.

É importante entender a diferença entre preço e valor na formação de preço de um serviço. O preço está vinculado aos custos de produção, enquanto o valor tem a ver com a percepção do consumidor.

Se o consumidor vê valor agregado em um serviço, seu preço pode ser muito mais elevado do que aquele definido simplesmente com base nos custos envolvidos.

3.Modelos básicos de formação de preço

Existem 3 padrões básicos de formação de preço, confira qual deles é mais indicado para a sua empresa:

  • baseado no custo: o preço do serviço é definido aplicando-se um percentual em cima de seus custos;
  • apoiado na concorrência: o preço dos serviços da empresa é determinado com base nas cifras praticadas pela concorrência;
  • fundamentado na demanda: o preço é definido a partir do que os clientes estão dispostos a pagar por um serviço específico.

4.Estratégias de Lançamento

Depois de decidir por um modelo de formação de preço, é preciso escolher uma estratégia de lançamento. Essencialmente, são duas opções:

Começar com um preço mais alto e ir reduzindo gradualmente — uma boa maneira de recuperar o investimento inicial mais rapidamente. É indicado para serviços mais exclusivos, com alta demanda

Iniciar com um preço abaixo da média e ir aumentando gradualmente — é uma forma eficaz de ir ganhando mercado, devido aos preços menores, e fidelizar os clientes pela qualidade.

E então, gostou dessas dicas? Assine nossa newsletter e fique por dentro de mais sugestões como essas!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Share This